Pinheirenses saem as ruas e demonstram indignação e insatisfação com a gestão Luciano Genésio.

Protestos intensos têm tomado conta da cidade de Pinheiro nos últimos dias, os atos têm sido motivados pelo total descontrole da gestão municipal em...

- 09/08/2023 13h24 | atualizado em 9 de agosto de 2023 as 13h24

Protestos intensos têm tomado conta da cidade de Pinheiro nos últimos dias, os atos têm sido motivados pelo total descontrole da gestão municipal em todos os setores do município, o que tem gerado desagrado e revolta da população. O abandono do ginásio Lourenço Farias, a falta de merenda nas poucas escolas em funcionamento, o atraso no pagamento dos garis ameaçando a paralisação na coleta do lixo, moradores interditando ruas devido as péssimas condições da via como a Vicente Fialho no campinho, onde os moradores chegaram a plantar uma bananeira em meio a pista. E nesta terça-feira (08) foi a vez dos alunos, pais e professores da Escola Agostinho Ramalho se unirão e saíram as ruas da cidade para exigir da gestão municipal melhorias na estrutura da escola. A revolta se intensificou com o descaso da gestão Luciano em relação às necessidades básicas da unidade escolar.

Uma das principais reivindicações dos manifestantes é a reforma completa do prédio, que se encontra em estado precário, colocando em risco a segurança de todos os frequentadores da escola.

Outro ponto de insatisfação é a falta de climatização nas salas de aula, o que torna o ambiente extremamente desconfortável durante os períodos mais quentes do ano. Alunos e professores sofrem com o calor excessivo, comprometendo a concentração e a qualidade do aprendizado.

Além disso, a merenda escolar tem sido alvo de críticas constantes, já que muitas vezes falta quantidade e qualidade dos alimentos oferecidos. Pais e responsáveis destacam que a alimentação adequada é fundamental para o desenvolvimento e bem-estar dos estudantes, mas têm sido constantemente negligenciada pela gestão Luciano.

Diante do descaso persistente, os alunos decidiram abandonar suas salas de aula para aderir aos protestos, reivindicando uma educação de qualidade, exigindo a atenção da prefeitura. Os alunos encerram a manifestação em frente a promotoria de forma pacifica.

Os pais e responsáveis também têm se unido aos alunos, demonstrando total indignação com a situação da escola. Eles entendem que a educação é um direito básico, e é papel da gestão municipal garantir que todas as condições necessárias para um ensino de qualidade sejam oferecidas.


Professores, como parte essencial do processo educacional, também aderiram aos protestos, mostrando que a luta por melhores condições de trabalho está diretamente ligada à luta pela melhoria da educação como um todo. Os manifestantes esperam que as autoridades competentes ouçam suas reivindicações e tomem providências imediatas para solucionar os problemas apontados. A educação é a base de qualquer sociedade e é fundamental garantir que as escolas ofereçam um ambiente adequado para o aprendizado, além de condições dignas de trabalho para os professores.

Esperamos que as demandas sejam atendidas. Acompanharemos de perto o desenrolar dessa situação, na esperança de que os alunos da Escola Agostinho Ramalho possam ter uma educação de qualidade, em um ambiente seguro e propício ao seu desenvolvimento.

Seguem abaixo mais fotos de protestos na cidade de Pinheiro nos últimos dias, que mostram a insatisfação da população com a atual gestão:

Por: Lilson Pavão.

Deixe uma resposta